sábado, 23 de agosto de 2014

Quimera dos Tempos

Trinta graus no inverno
A vida é a estação do inferno
Está na hora de o mundo acabar

A cabeça emerge do peito
Um coração tem na coxa o leito
Na língua, o escalpo no mar

O sol nasce, a coruja pia
A lua em pináculo, um galo, então, mia!
Orgias de células em gema âmbar

Sobre pirâmides, cruzes
Sob o lodo dos pântanos, luzes
Vida e morte trocando de lar

Nenhum comentário:

Postar um comentário