sábado, 24 de agosto de 2013

Para Jú(Ju)lia

Um acento nesse teu nome
E um movimento da minha mão
É artístico como uma habilidade de uma esgrima
(Seria artístico...)

Ora um nome tão "Júlio" quanto o teu
Vindo do César 
Escrito sob o idioma português
(A mais bela das falas gráficas e faladas)
Não pode ser "Julia", sem acento

"Júlia", tem que ter acento
Pra que meu pincel pedale 
Com o requinte que outrora
Os lusos cantaram César e sua glória
E eu pinte em meu muro
Teu nome na grafia de Camões...

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Considerações Sobre Um Paranoico

O paranoico é aquele que leva em consideração o pior que pode acontecer. Mas ele não é um pessimista, necessariamente, ou um agourento mal-humorado. Pelo contrário, deveria ser chamado de "o esperto", "o mais esperto". Assim ele já fica preparado. Então o paranoico é na verdade um sábio prudente, um ardiloso e bem-sucedido covarde que sabe o que fazer, pois todas as possibilidades lhe passam pelo arisco pensamento. E o que faz esse indivíduo ser levado à paranoia? O prazer e a bonança. É preciso primeiro cogitar o regozijo, pois não há por que se preocupar quando não se tem nada de bom a perder. E nessa situação, o paranoico não carece fugir ou se esconder, uma vez que conhece a ardilosa e sofisticada habilidade de evitar. E ainda que deveras ridicularizado, é o paranoico quem tem as maiores chances de manter a cabeça por sobre o pescoço, ora, em sua condição, ele bem sabe da arte de manter os olhos abertos, os ouvidos atentos, e a língua atrás dos dentes...