terça-feira, 7 de maio de 2013

Fugere Fratris

Às vezes, tudo o que precisamos é nos afastar, sumir da vida daqueles que conhecem nossas fraquezas, daqueles a quem exibimos nossos medos; aqueles com quem temos tanta intimidade que não é mais nem possível enganá-los que somos poderosos, pois dessa maneira parecemos ainda mais patéticos, mostrando que somos apenas uma farsa. E esses são os que julgamos mais necessários em nossa vida... Depois, a gente reaparece, com um novo brilho no olho, sem ter receio de sentir vergonha por todo um fingimento da nossa parte e da parte desses, que nos magoam tentando nos privar da mágoa, numa tentativa de reerguer-nos da fossa, mas nos afogando ainda mais. "Fugere urbem", "fugere fratris", temos que sair e nos procurar. Quando essas pessoas, tão importantes, lamentam demais por nós, é porque sua esperança na gente está se esvaindo, aí preocupam-se com eles mesmos e temem por sua própria felicidade. Então antes de virarmos seus problemas, é melhor sair, dar uma bela volta, e retornar novamente como sua solução...

Nenhum comentário:

Postar um comentário