quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Ao Dia do Músico


No Dia do Músico, me lembrei da entrevista dada ao Jornal do Almoço pelo cantor e compositor Alceu Valença, que se apresentou dia 21/11/12 em Porto Alegre, e refleti se no Brasil de hoje, haveria espaço para a consagração de excelentes musicistas tais como o cabeludo nordestino que arrepia os pelos do braço de qualquer bom apreciador de belas obras, com suas canções épicas, sofisticadamente confusas, e poesias místicas e apocalípticas... Tenho minhas dúvidas. O Brasil (o país da brasileirada) é atualmente território da mídia, da indústria, do pragmatismo, do negócio, do dinheiro, do capitalismo desenfreado... da manipulação cultural. O Brasil não é país de grande aceitação de artes mais profundas que "tchu tchá tchás", haja vista os astros admirados hoje, tipos como Michel Teló, Luan Santana, Gusttavo Lima (isso mesmo, com dois "Ts"), Chimbinha e Joelma, e toda uma gama de ídolos para "Neymares". Em tempos como esses, Alceu Valença passaria fome, se dependesse de seu talento. Quanta ironia, quando o que o senso comum pensa é na equivalência entre fama e qualidade artística. Se Alceu Valença começasse sua jornada pelos palcos nacionais hoje, teria de dividir suas habilidades musicais entre algum bico aqui e acolá, uma esmola em qualquer esquina, ou, com "jeitinho brasileiro", alguma maracutaia (a nossa cara) para que pudesse comer todos os dias e, quiçá, fumar um maço de cigarros (luxo atrevido). É, o Brasil tá dominado, tá tudo dominado. Eu, metido a músico que sou, vivo matando cachorro a grito. A coisa tá russa. A coisa é na raça, no amor. O músico de hoje está sujeito a ser "zé ninguém" pelo resto da vida, ou por boa parte dela. No entanto, é encantador ainda encontrar resistência ao dinheiro é à fama evidentemente passageira que seduz e estupra talentos em nome da movimentação financeira dos tubarões do país. Meus companheiros de Tocata y Fuga e eu, e tantos outros que passamos a conhecer nas pequenas andanças da nossa estrada artística, talvez sejamos "Alceus Valenças" numa época escura e cheia de concorrentes inferiores ao medíocre, mas somos persistentes enquanto sonhadores - remanescentes dos amantes da música, fãs de Alceu Valença...

Nenhum comentário:

Postar um comentário