quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Quer casar comigo?


Ó, que legal
Pedra, aro, metal
De amor, arremedo
Pele, carne, osso: um dedo
Brinca aqui, finge acolá
Vale tudo ao fantasiar
Chama-se todos, se vai dizer
Que paixão infinita, vai ser
Amor de verdade, não precisa
É normal que ela seja indecisa
Se vestido e fraque for vestuário
A paixão, então, fará 'niversário
Faz-se comida, espera-se o bolo
Ninguém admite que é tolo
Sorrisos e risos
Nos dentes os frisos
O amor se desdobra
Até pela pela sogra
Que tal ser feliz
Pra isso, chamariz
Vão-se todos pro céu
Começando a um anel

Nenhum comentário:

Postar um comentário