sábado, 13 de outubro de 2012

Felicidade tem Limite

O quê?! Tu tens a audácia de querer ser feliz integralmente, em minha casa?! Que ousadia é essa de pensares que podes viver rindo aqui?! Pouco ou nada me interessa se não gastas do meu dinheiro para te embebedares; não quero saber de tantos sorrisos no meu lar. É uma falta de respeito cogitares ser alegre todo o tempo, de baixo do meu teto! Quantas vezes tenho que te deixar claro que não admito esse tipo de coisa na minha casa?! Regozijo? Vai procurar na casa das tuas putas! Não quero saber de divertimentos incessantes onde sou eu quem paga as contas de água e de luz! E não me vens argumentar que não quebras nem sujas nada. Por que tu teimas em querer ser feliz o tempo inteiro?! Por que tu não és como todo mundo, que aceita o desgaste cotidiano numa boa?! Por que tu não és como todo mundo, que acata passiva e religiosamente a dureza da vida?! Que atrevimento da tua parte querer se negar a isso, logo na minha residência, onde sou eu que ponho comida na mesa. Não queres dores e calos? Arruma tuas coisas e vai-te embora! Era só o que me faltava, um cara-de-pau que nem tu, entender que pudesse haver jeito de farrear na minha casa, alegando que não agride nem maltrata ninguém. Em quantas ocasões te deixei claro que festas se fazem vez que outra, e de forma contida. Tu extrapolas! Queres chegar ao máximo de gozo possível! Não tem cabimento. Ninguém é assim, cara! Aprende isso! Ficas aí, com essas manias de músicas e de artes, livros e comédias, cervejas e fumaças, enquanto os batalhadores do dia a dia suam para dar de comer aos filhos. Não, não onde moro! Aqui é uma casa de respeito, sofrimento e sacrifício, como manda Nosso Senhor Jesus Cristo - que Deus O tenha, amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário