domingo, 8 de julho de 2012

Canção para Gincana de Bandidos


São nojentas as maneiras com as quais se fazem as campanhas políticas. É poluição de todas as formas: desde os papéis, os adesivos e tudo aquilo que provoca danos muitas vezes irreparáveis à cidade, até as abusivas "canções" compostas para seduzir o eleitor. Porque esse tipo de barulho sincronizado não conscientiza e nem mesmo esclarece quem escolhe as lideranças. Sua intenção é causar a seguinte reação: "esse candidato tem o mesmo mau gosto que nós, o populacho, a arraia-miúda, portanto, votemos nele".


Os chamados 'jingles' são a representação mais expressiva da sujeira eleitoral brasileira. Eles são a face maquiada do que vem a aparecer de cara limpa logo depois, terminadas as eleições. Essas musiquinhas insuportáveis cantam o deboche lúdico que embala o que realmente vem a ser uma campanha eleitoral no Brasil: uma Gincana de Bandidos. São várias "equipes" que competem entre si para no final quem tirar 1º lugar no pódio, escarniar com sorriso de diabo o 2º e o 3º lugares.


Têm pessoas que, num ano trabalham para uma certa equipe e, por qualquer que seja o motivo, quatro anos depois, viram a casaca. E só quem lembra desse pular de cerca é o time chifrado. A nova casa desses gigolôs nem se dá conta de que, muito possivelmente - seja de novo por qualquer razão - vai perder os seus amantes da mesma forma que seu adversário.


De hoje em diante, durante várias semanas, todo aquele que fizer parte de uma cidade dentro de todo o território do Brasil, vai ter que acordar e dormir ouvindo a falta de respeito bagaceira atrevidamente chamada de música que os maiores sem educação da Sociedade nos empurram ouvidos a dentro. Mas não vai haver única vez que irá se escutar a coisa mais verdadeira sobre a política desse país : que aglomeração de políticos é lar de ladrões...

Nenhum comentário:

Postar um comentário