terça-feira, 1 de maio de 2012

Algoz Mestre


Eu outrora vi um senhor
E desde pequeno, o ovacionei
Admirava-o a ser de si, senhor
Amava-o por ser um rei


Sua face altiva, austera
Amedrontava-me a me imbuir
Verdades, instruções, que dera
Levaram a mim, instruir!


Revolta e dor, lhe dediquei! 
Mas admiração, a mim chamava
Com ele às espadas, cheguei!
Porém, àquele velho, amava


A erudição era sua linhagem
A retórica, seu ofício
À vida, deu pouca margem
À vida, deu suplício


A tal velho sucumbi
Pois tamanha era sua nobreza
Por meio dele, cresci
A ele, devo minha grandeza


Ó amante da maior Rainha
És meu mestre, de maior grado
Saudades de ti - a mim definha
Avô e nobre advogado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário