sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Um Cara Maduro

Vou parar de sair à noite. Vou virar um cara maduro. Vou parar de pensar em festas, em diversão, não vou mais gostar de me divertir... Já tá na hora de parar com a cervejada em dias de semana; tá na hora de dar um tempo pra folia. É hora de pensar no trabalho, nas responsabilidades, em obter o sucesso financeiro... É hora de batalhar para comprar um carro e, depois de muito suor derramado, construir minha casinha pois, é o momento de arrumar uma namorada para noivar, casar, pôr uma aliança no dedo e planejar uma vida para criar os filhos. Não vou mais me juntar aos amigos durantes as tardes quase todos os dias para trocar ideias filosóficas, falar sobre poesias, dar gargalhadas. Não. Não vou mais ser um sonhador. Quero ser um cara maduro. Vou pôr os "pés no chão"... Meu objetivo será o foco na profissão, investir a vida na carreira. Isso sim é importante. Chega de me deleitar com a música, que me proporciona sensações extasiantes: é devaneio! Vou cortar o meu cabelo, já tá na hora! Já ta mais que na hora de eu me vestir como “homenzinho”. O tempo de pensar num mundo melhor passou. De agora em diante, irei me conformar que a vida é desgastante, sofrida. Não vou mais protestar contra opressões e ordens arbitrárias. O certo é engolir os sapos, o certo é se submeter. É assim que funciona! "Sempre foi desse jeito". Vou aprender a detestar o ócio, o qual me deixa prazerosamente confortável. Vou deixar de ser um vagabundo, para ser um homem decente, para ser um cara maduro. Não mais vou sonhar, almejar, querer, imaginar... Me privarei de apreciar as artes. Vou sair do mundo-da-lua. Serei um cara sério e respeitável, trabalhador. Vou abrir mão de tudo o que me faz bem. Todo mundo faz desse jeito. E, me inspirando nas pessoas, vou fazer como todo mundo faz: vou fingir que sou feliz... Vou ser um cara maduro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário