sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Adeus ao Otimista...

E eu sendo otimista
Agarrando-me em fantasias
Projetando futuros vagos
Esperando sorrisos impossíveis

É melhor fingir pra mim mesmo
Viver entre meus elfos
Dançar com minhas fadas
Chorar junto aos poetas

Existir no meu cosmo
Onde Homens são Homens
Cavalos são cavalos
E mulheres amam homens,
não cavalos

Quero entrar em meu autismo
E quando o fizer, não sair mais
Quem me der um último adeus
Lembrarei pra sempre, em meu éter

Nenhum comentário:

Postar um comentário