quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Canto a Zé Pelintra

Eu encontrei Zé Pelintra na estrada
Conselheiro das falanges de Exu
Chapéu de palha, e de lenço no pescoço
Se juntou à corja de Omolu

Pelintra era um grande feiticeiro
No Catimbó, ele nasceu e se criou
A Umbanda deu pra ele um Cruzeiro
Mas, na Calunga, é que Zé Pelintra se firmou

No caminho, Zé Pelintra me contou
Que a Jurema fez pra ele um pedido
Que trouxesse para ela o grande amor
Que na Mata, havia se perdido

Pelintra foi, então, até um bosque
Ajoelhou-se, admirando uma flor
Fez com ela um feitiço, um encanto
E a Jurema, o amado, encontrou

A Jurema foi à porta da Calunga
Agradecer, mas o Seu Zé, não encontrou
Ele 'tava debruçado numa tumba
Chorando pela mulher que não lhe amou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário