quinta-feira, 11 de agosto de 2011

De mim, tipo "Pagu"

Descobri que sou um amante... um amador... sei-lá...
Me peguei contemplando um gosto, de certa forma, inusitado.
Percebi que gosto de amar.
Não havia enxergado o quanto me faz bem gostar, admirar, amar...
Eu adoro amar!
Tenho a impressão que, quando não amo, faço força pra amar.
Sim, gosto de mimar, bajular...
Abraços?! Adoro dar abraços! Fazer carinhos... Fazer sentir bem...
Se for possível ser motivo do regozijo de outrem...!!!
Meu prazer é ser prazer...
Às vezes penso que me basta apenas amar.
Às vezes penso que nem preciso ser amado.
Tudo bem... não sei...
Não sei se é bem assim...
É que um sentimento me incomoda mais.
Mais do que a possibilidade de não ser correspondido.
Por vezes, receio que quem não me ama não aceita meu amor.
Rejeita...
Frustra.
E, de certa maneira, acabo fazendo mal pra mim mesmo.
Pois não consigo parar!
Nunca tentei, e nem quero tentar!
É um vício.
Devo procurar ajuda, tratamento?
Venero esse tormento...
Nem quero me salvar!
Estou condenado a amar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário