segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Competência Animal

A palavra "incompetência" deriva do verbo "competir". Com o prefixo "in", o termo tem o significado de "aquele que não compete", ou "o que não pode competir".

É uma palavra usada de forma pejorativa. Ela insinua que a incompetência é um defeito do indivíduo. Supõe-se, de acordo com o vocábulo, que a competição é algo valoroso, honrado.

A piedade, ou pena, é um sentimento tido, por quem o recebe, como algo inglório, degradante. Aquele que é dito digno de pena, é considerado incapaz, incompetente. Por parte de quem a sente, a misericórida é vista como um lamento pelo infortúnio de outrem - um sentimento nobre. Porém, quem a concebe é fraco - ou até mesmo covarde - por não saber competir.

A questão é: é importante competir? A competitividade traz vantagens gerais e/ou individuais? Aquele que compete tem paz e descanso? Não seria a competição apenas a forma primitiva que os animais, por não possuírem a habilidade do diálogo e da reflexão, encontraram para se manter ativos e existentes no meio? Ou não teríamos nós tanta diferença dos chamados "animais"? Será que a competição não é o ferrolho que mantém a humanidade presa na jaula do animalesco?

Talvez esteja na "incompetência" uma das tesouras que corte as amarras que impedem os Homens de caminharem rumo à frente, de uma vez por todas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário